Entrevista com Daniela Calvo

Dos números para o cupcake, sem medo de errar.

 Apaixonada por confeitaria, Daniela Calvo trocou a contabilidade pelos doces e salgados, tornando-se pequena empresária.

 Por Sueli Lafratta

Daniela Calvo - Danoca
Daniela ensina que, além da vocação, também é necessário dedicar-se a cursos de aperfeiçoamento. Foto: Francisco Bueno Jr

Danoca foi o nome sugerido pela sobrinha Geovana, há dois anos, quando a confeiteira Daniela Calvo decidiu formalizar sua atividade como uma MEI (Microempreendedora Individual). Porém, sua vocação surgiu por volta dos seus 10 anos, inspirada nos bisavós italianos proprietários de uma padaria em Olímpia (SP), cidade natal de Daniela. Lá, ainda menina, ela aprendeu com a avó receitas como esfiha e rosca de coco com goiabada.

 

A vida seguiu e Daniela, formada em Ciências Contábeis, atuou na profissão por 10 anos, em uma grande empresa. Mas, em 2006, ela se rendeu à herança gastronômica e passou a produzir bolos e salgados, que vendia para os colegas de trabalho. “Minha paixão pela confeitaria me levou a fazer cursos para me profissionalizar porque a confeitaria cresceu muito. É preciso estar atualizado sobre as tendências”, explica.

 

Para divulgar os produtos, a confeiteira também participava de bazares do seu condomínio e em residências. Até que em 2010, com o apoio da família, Daniela deixou a contabilidade e, em casa, passou a se dedicar totalmente aos doces, salgados, bolos, pães e tantas outras delícias da Cupcake&Cia Danoca. Como resultado de seu empenho, hoje ela atende a região do ABC Paulista e a cidade de São Paulo, e seu principal produto é o kit festa infantil, para aniversários na escola, contendo bolo, salgados, docinhos modelados e velinha.

 

Sonho vintage

O primeiro curso que a confeiteira Daniela fez foi o básico de boleira e, em seguida, bolos confeitados com chantilly. De lá para cá, ela contabiliza cerca de 30 cursos. “Agora, estou aprendendo técnicas de escultura e modelagens em pasta americana para me tornar uma cake designer”, conta. E é rápida ao revelar seu sonho: montar uma confeitaria, com decoração no estilo vintage. Também pretende ministrar oficinas de confeitaria para crianças.

 

Tendências e preferências

Abordando as tendências na confeitaria, a profissional compara as técnicas do bolo modelado (cake design) e do naked cake (bolo sem cobertura nas laterais). Em sua opinião, o brasileiro admira a decoração do bolo modelado, mas não gosta muito de pasta americana. “O naked cake tem mais aceitação devido à variação de recheios e sabores. Mas é um bolo rústico, que depende do que o cliente busca, do tipo de festa e do custo.” Porém, aposta no bolo modelado: “Quero a especialização nesta arte para ter um diferencial”.

 

Dica de Mestre

Para você, que quer vender seus quitutes, Daniela aconselha começar oferecendo aos amigos. Se eles gostarem do produto, irão indicar para outros clientes. “Hoje, o Facebook é uma grande ferramenta para vender”, constata. Confira o capricho que ela tem com a sua divulgação no Facebook em  cupcake&Cia Danoca.