Como expor em festivais gastronômicos?

Diretora de eventos do setor apresenta dicas valiosas aos interessados em mostrar sua marca e produtos para o grande público.

 

Sueli Lafratta  

Jornalista

 

 

Atuando há oito anos em feiras, festivais, eventos in company, paletras, treinamentos e coaching, o Espaço As Meninas Feiras e Eventos vem se destacando, nos últimos dois anos, na organização de festivais gastronômicos inéditos, acompanhados de bazares e feiras sazonais de moda, acessórios e decoração. No início de 2016, com o lançamento do Selo Paixões Paulistanas, a empresa criou uma marca que identifica os eventos idealizados sob medida para a preferência dos paulistanos, segundo suas próprias pesquisas de mercado.

Com experiência na administração de eventos em São Paulo e Interior, Rio de Janeiro e Belo Horizonte, o Espaço As Meninas tem na bagagem festivais como do Cacau e do Café (mais informações em http://sucessonacozinha.com.br/encontre-sua-inspiracao-nos-festivais/), da Padoca e Confeitaria e da Coxinha e do Sonho, entre seus mais recentes sucessos.

Diante do boom dos festivais gastronômicos neste ano, profissionais da gastronomia estão se perguntando: “O que faz uma empresa organizadora de festivais?”; “Qual a importância desse tipo de evento para o expositor?”; “Como faço para participar?”. Para esclarecer estas e várias outras indagações, o Portal Sucesso na Cozinha entrevistou Elaine Vilela, proprietária e diretora executiva do Espaço As Meninas. Acompanhe!

 

Qual o segredo de um festival gastronômico para fazer sucesso?

A essência de um festival é a pluralidade, a variedade de itens ofertados, principalmente de produtores artesanais e de muitas empresas pequenas que querem entrar no mercado de São Paulo usando o festival como uma vitrine e para contato com o público. Com isso, o expositor pode entender esse público e ver os preços de produtos. O visitante quer preço justo e conhecer coisas novas. Se o festival passa a ser visto como local de produtos caros, com o mesmo preço que se encontra nos shoppings, ele passa a não ter diferencial.

Produção de imagens para imprensa e publicidade
Produção de imagens para imprensa e publicidade

O conceito de um festival é ser um lugar para passear com a família, promover a integração. A entrada deve ser gratuita para democratizar o acesso; é necessário haver degustação e brindes, além de apelo de responsabilidade social, que é a filosofia de nossa empresa. Por exemplo, oferecemos, sem custo, espaço à ONG CI de Luz, para a qual arrecadamos alimentos não perecíveis e brinquedos, e à ONG Catland Adoção de Gatinhos.

 

Quanto custa a locação do espaço para o expositor?

O custo da locação diária vai de R$ 200,00 a R$ 800,00, dependendo do tamanho do espaço reservado. Temos quatro tipos de tamanhos e orientamos o expositor quanto a sua necessidade de espaço e aos preços de seus produtos. Destacamos que a locação não é somente do espaço, mas de toda a divulgação do evento, por meio de mídias sociais, assessoria de imprensa e agência de publicidade, o que gera visibilidade para quem expõe.

Além disso, há uma equipe para a infraestrutura com engenheiro, eletricista, bombeiro, seguranças e, no 3º Festival do Cacau e do Café, implantamos o sistema de transfer gratuito. O custo também leva em conta o local do evento, que deve ser coberto para evitar incômodo. 

 

Quais são as principais atividades de uma empresa organizadora desse tipo evento?

Começamos pela pesquisa de mercado para entender o desejo do público quanto aos temas dos festivais. Procuramos o local adequado, com fácil acesso por diferentes tipos de transporte público e com estacionamento. Buscamos parceiros de peso para marcar o festival com credibilidade para que este se repita. A organização tem que estar muita atenta ao espaço e à divulgação: temos um bom contato com a mídia e uma agência de publicidade criando teasers constantemente para atrair o público.

 

Como são definidos os expositores?

Existem alguns critérios para selecionar o expositor. Primeiro, ele tem que seguir o tema do festival, mas evitamos um exagero na repetição de produtos expostos. Visitamos a fanpage do expositor e verificamos os preços que ele pratica. Para divulgar o evento entre os interessados em expor, usamos as redes sociais, porém temos muitas indicações de quem já conhece o produto. Também selecionamos alguns expositores de produtos distintos do tema porque é necessário ter um buffet para refeição. Por outro lado, pode ser que um determinado produto não justifique um festival, mas é uma oportunidade para o expositor vender, aproveitando o público. Quando o expositor entende que o evento é bom, ele vem do interior, litoral e outros estados.

 

O que o candidato a expositor necessita saber para se candidatar?

Ele tem que ser parceiro do festival, aproveitar tudo o que o organizador oferece, pois é uma oportunidade de vitrine. O festival tem vários valores agregados, portanto o expositor deve fazer lançamentos, convidar os amigos e unir esforços para ser um sucesso.

 

Qual o diferencial de um evento considerado de qualidade? 

Sutilizas na apresentação
Arte na apresentação do produto

Diversidade de bons expositores, preocupação com ambiente seguro e confortável para o visitante e volume de negócios para o expositor (com preço justo, caso contrário não vende). Orientamos o vendedor a ter simpatia e relacionamento com o público. O evento é a loja dele, é a sua oportunidade de vender e expor a marca. Ter uma máquina de cartão e dar atenção ao público são importantes (nada de ficar no celular, por exemplo). Mesmo que o visitante não compre na hora, ele pode gerar encomendas.

 

Qual a importância de um festival gastronômico para o expositor?

Ele deve entender o festival como um negócio. Se ele quer lançar uma marca, deve começar em um festival para depois abrir uma loja. É um bom ponto de partida para fazer contato com o público, conhecer a concorrência e testar o produto. Se ele tiver uma paixão, recomendo que comece por um festival, que é uma excelente oportunidade.

 

O boom de festivais deve continuar por mais tempo?

Espero que continue! Pode ter um período de ajustes, pois o festival tem que ter ineditismo, mas acredito na vida média para longa porque é uma opção de lazer para a família, com entrada gratuita, apesar de São Paulo oferecer muitas opções.

 

 

Expositores avaliam participação em eventos

 

Paixão em cozinhar e ver o público feliz com os quitutes

Bolos: uma das especialidade de Vivi. Foto: Vivi Express
Bolos: uma das especialidade de Vivi.
Foto: Vivi Express

Kelly Viviane Laurindo, carinhosamente chamada de Vivi, frequentemente expõe em festivais gastronômicos os mais variados doces e salgados. Ela costuma divulgar produtos – desde o seu tradicional lanche de pernil até os bolos e docinhos caseiros, passando por coxinhas com massas e recheios diferenciados – pelas redes sociais, porém o contato direto com o público dos festivais é de grande valor. “Minha paixão é ver uma pessoa que não conheço provar um prato, quitutes, lanches, doces, ou qualquer outra coisa que eu tenha cozinhado, e ficar feliz pelo sabor que encontra ao prová-lo”, Vivi conta.

Dedicando-se à cozinha profissional já aos 14 anos de idade, ela aprendeu o ofício com a mãe. “Na verdade, eu acho que nasci sabendo. Desde os meus oito anos, eu amo cozinhar. Minha mãe ficava muito brava porque eu acabava com suas panelas, mas sempre gostei muito de vê-la preparando feijoada que, todos nós sabemos, dá muito trabalho. Mas o forte de nossa família são os lanches de pernil que nosso pai, que foi nosso grande orgulho, sempre comercializou e nos criou assim”, lembra.

 

Vivi deixa um conselho para quem pretende ser expositor em festivais: “Faça sempre tudo com produtos de alta qualidade, inove sempre,  acredite sempre no seu produto e, claro, faça tudo sempre com muito, mas muito amor.
E sucesso!”.

Sob a marca Vivi Express, ela participa do 3º Festival do Cacau e do Café (em 28 de agosto de 2016, no Clube Hebraica, São Paulo, SP) com bolos de chocolate,  de café,  tortas de chocolate com café, crème brûlée de chocolate com café e  cupcake de chocolate e café. Localizada no Tucuruvi, Zona Norte de São Paulo, ela atende encomendas pelo e-mail vivi_laurindo@hotmail.com, e pelo telefone 11-94013-2606.  No Facebook, veja suas criações em Vivi Express.

 

Muita dedicação aos bichinhos

A ONG Catland Adoção de Gatinhos, fundada há três anos, com sede no Jabaquara, Zona Sul de São Paulo, SP, atua no resgate e promove adoção e posse responsável de gatinhos em situação de risco, além de trabalhar na conscientização do controle populacional e bem-estar do animal. Presente em vários tipos de eventos, desde os do segmento pet até as feiras temáticas e veganas, a ONG também estará no 3º Festival do Cacau e do Café apresentando camisetas, canecas, chaveiros, bottons e imãs de geladeira. De acordo com Daniela Lemos, coordenadora de eventos da entidade, há um objetivo específico nesse festival: vender R$ 650,00 para castrar e vacinar cinco gatinhos.

Utilizando um espaço cedido pela organizadora à Catland, Daniela comenta a importância dessa participação: “Como a ONG se mantém basicamente com doações, expor os produtos de nossa lojinha nesse tipo de evento aumenta nossa capacidade financeira de custeio do projeto com fins próprios. Hoje, a participação em eventos representa 40% de todo dinheiro que entra na ONG.”

Para quem se surpreender com uma ONG de proteção animal em um evento de guloseimas, a coordenadora explica que os visitantes elogiam a ação social da organizadora, sendo que muitos veem os posts de divulgação da entidade e vão ao local para prestigiar. “Algumas pessoas chegam falando que foram lá só para ver a Catland, mas sabemos que todas elas vão comer alguma coisa depois! Rs…”

 

Esta fofura procura um lar Foto: Catland
Esta fofura procura um lar
Foto: Catland

Aos pretendentes a expositor, Daniela ensina: “Seja simpático com todos. Sorria, converse, se apresente, fale de seus produtos com entusiasmo, independente de comprarem ou não. Tenha material de divulgação para entregar aos que compraram e também para os que só passaram. O cliente que não compra hoje pode ser o potencial de amanhã.

Mais informações em http://www.catland.org.br/.

 

 

 

______________

Sueli Lafratta. Jornalista e Mestre pela USP, editora de revistas do setor de alimentação e professora universitária. É idealizadora e editora da Revista Digital Sucesso na Cozinha, dirigida aos profissionais e empresários da gastronomia, com reportagens, entrevistas, receitas e dicas de marketing gastronômico. Contato: suelilafratta@sucessonacozinha.com.br

 

Curta a Fan Page Sucesso na Cozinha

www.facebook.com/portalsucessonacozinha

Siga o Sucesso na Cozinha no Instagram

www.instagram.com/sucessonacozinha/