Cidade de São Paulo lança campanha contra o desperdício de alimentos

Mercados municipais e outros órgãos de abastecimento também terão gestão de resíduos sólidos.

 

Comerciantes do Mercado Kinjo Yamato recebem o selo do Combate ao Desperdício: responsabilidade social. Fotos: SMDE.

 

Sueli Lafratta 

Editora

 

Em comemoração ao Dia Mundial da Alimentação, 16 de outubro, a Secretaria de Desenvolvimento Econômico da Cidade de São Paulo lançou o Programa de Combate ao Desperdício de Alimentos em cerimônia realizada em 15 de outubro, no Mercado Kinjo Yamato, Zona Central.

A campanha objetiva arrecadar alimentos que não possuem valor comercial, mas estão em boas condições de consumo, para doá-los a pessoas em situação de insegurança alimentar. Também pretende “conscientizar as pessoas para não desperdiçar os alimentos e reaproveitá-los, promovendo a melhoria da nutrição da população e diminuindo a produção de resíduos orgânicos”, conforme explica a secretária de Desenvolvimento Econômico, Aline Cardoso.

Secretária Aline Cardoso: “conscientizar as pessoas”.

Durante um ano, o Mercado Kinjo Yamato recebeu o projeto-piloto de Combate ao Desperdício, arrecadando mais de 53 toneladas de frutas, verduras e legumes que seriam descartados, mas que foram enviados ao Banco de Alimentos da Prefeitura de São Paulo para serem doadas a instituições assistenciais. Neste ano, o projeto alcançou também o Mercado Central Pari e o Sacolão de Pinheiros.

Como incentivo à participação dos comerciantes dos mercados, a Secretaria criou o selo do Combate ao Desperdício, enaltecendo a responsabilidade social dos estabelecimentos. A meta da Prefeitura de São Paulo, agora, é levar a campanha para mais 12 mercados municipais, dois sacolões, 880 feiras livres e outros órgãos públicos que manipulem alimentos.

MERCADO SUSTENTÁVEL

Na cerimônia, também foi lançado o Programa Mercado Sustentável, ação voltada à Coleta Seletiva de Resíduos Orgânicos para reduzir material orgânico nos aterros sanitários e que será desenvolvida no Mercado Kinjo Yamato. Os resíduos sólidos serão separados em quatro tipos: orgânicos; secos (embalagens de papelão, plástico, metal, vidro e madeira), rejeitos e alimentos.

Programa Mercado Sustentável: redução de material orgânico.

 

MERCADO E HISTÓRIA

A escolha do Mercado Kinjo Yamato se deve ao fato de comercializar grande quantidade de hortifrutícolas, gerando muitos resíduos orgânicos e embalagens. Seu nome homenageia o primeiro imigrante japonês com título superior de dentista. Antes de comercializar produtos, o local deu suporte às obras do Mercado Municipal Paulista, que foi inaugurado em 1933. Em 1936, o Kinjo Yamato passou a atender à população e, atualmente, conta com 112 boxes e módulos de diversos ramos de atividade.

 

TOME NOTA

MERCADO MUNICIPAL KINJO YAMATO

Rua da Cantareira, 377, centro de São Paulo, SP.

Funcionamento: segunda-feira a sábado, das 0h às 15h.

Programação completa da Semana Municipal da Alimentação:

https://bit.ly/2pN3zwT

 

______________

Sueli Lafratta. Jornalista e Mestre pela USP, editora de revistas do setor de alimentação e professora universitária. É idealizadora e editora da Revista Digital Sucesso na Cozinha, dirigida aos profissionais e aos empresários da gastronomia, com reportagens, entrevistas, receitas, dicas e serviços de marketing gastronômico. Contato: suelilafratta@sucessonacozinha.com.br

Curta a Fanpage Sucesso na Cozinha

www.facebook.com/portalsucessonacozinha

Siga o Sucesso na Cozinha no Instagram

www.instagram.com/sucessonacozinha/

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *